04/05/2015 - A Revolução dos Aplicativos

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Tecnologia ajuda bares e restaurantes a aumentarem sua receita e auxilia na gestão do estabelecimento

 

É cada vez menor o número de pessoas que resiste à facilidade e agilidade dos aplicativos, um caminho tecnológico sem volta. E no mundo dos negócios não é diferente. Estima-se por pesquisas que mais de 80% dos usuários de telefone celulares usem aplicativos para procurar restaurantes. Porém, em meio a uma infinidade de apps, é preciso ter bem claro seu objetivo para escolher a ferramenta ideal e testar as diversas opções disponíveis no mercado para cada funcionalidade, a fim de potencializar o resultado e controle de seu estabelecimento e se diferenciar da concorrência. Os aplicativos são uma ferramenta interessante de marketing e interação com seu cliente. Além de agilizar o atendimento através de reservas online, gerenciamento de filas e até pedidos e pagamentos pelo app, seu restaurante pode ser visto por mais clientes, poderá divulgar promoções e, principalmente, conhecer melhor seu público e a impressão que obtiveram de seus serviços. “Com esses dados em mãos o restaurante pode dar ao cliente um atendimento mais assertivo. É uma tecnologia nova, que gera conforto, melhores resultados e novas oportunidades de negócios”, avalia Amilcar Chaves, co-fundador do iRestaurante.

André do Camarada Camarão, do Rio Prime Barra Shopping, faz uso do iRestaurante e está satisfeito com os resultados. Depois de experimentar outros aplicativos mal gerenciados, ele decidiu testar por 30 dias gratuitamente e neste período já computou aumento do faturamento. “De uma média de 100 na fila de espera apenas 40 sentavam, pois acabavam desistindo. Com o aplicativo esse número subiu para 85, pois as pessoas confiam no sistema de espera - antes era tudo anotado no papel- e podem ver sua posição na fila. O app avisa automaticamente quais mesas estão prestes a serem liberadas através dos pedidos das mesas, se estão já na sobremesa, por exemplo. Ele pode dar uma volta no shopping enquanto aguarda. Passei também a ter muita reserva em horários que ficavam vazios”.

 

Busque a melhor ferramenta para seu negócio

Como em todo mercado, há produtos bons e ruins, e o que melhor se adéqua ao seu negócio. Muitos aplicativos foram perdendo usuários por falta de atualização e funcionalidade. Por isso, o ideal é ter em mente seu propósito e conhecer mais de um aplicativo. Geralmente, há a possibilidade de serem testados por um determinado período antes de efetivar a contratação. “Experimentei muitos aplicativos ruins, criados por garotadas sem uma estrutura profissional, o que não garantia a funcionalidade do mesmo”, conta Molima.

José Jarbas, fundador do Consume, diz que é importante manter qualquer app atualizado, pois você pode corrigir falhas, melhorar a performance e trazer novas funcionalidades. “Lançamos no começo do ano uma nova versão com o mapa de geolocalização a pedido de consumidores e estamos lançando outra com atualizações interessantes. Para se destacar é necessário manter algum foco”.

 

Tire proveito das informações

Vale ressaltar que uma ferramenta de avaliação necessita ser administrada, assim como seus resultados, sejam positivos ou negativos, caso contrário perderia o propósito. Sabendo o que pensam de seu serviço, o dono do restaurante terá um controle maior sobre sua reputação, podendo trabalhar em busca de melhorias. “No Consume acreditamos que as métricas básicas são aceitação do preço, qualidade do atendimento e do produto oferecido. Se estas... estas métricas não forem mensuradas e bem sucedidas, o resto se torna irrelevante”, define Jarbas.

 

Potencializando resultados com baixo investimento

O custo dos aplicativos é relativamente baixo diante do retorno que podem proporcionar ao negcio, podendo substituir softwares de gestão. Alguns são gratuitos e os pagos giram em torno de R$200 mensais. “A mensalidade do iRestaurante é próximo de 0,01% do faturamento mensal de uma casa ao longo do tempo”, exemplifica Amilcar Chaves.

 

Fonte: Food Magazine