27/02/2015 - Alimentando o corpo e a alma

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Empresária de Belém mobiliza, há cinco anos, funcionários, fornecedores, empresários e a sociedade em geral, no intuito de formar uma corrente do bem para ajudar a quem precisa

 

A gastronomia é algo prazeroso para muitos empresários e chefs de cozinha, mas no caso de Rosane Oliveira, sócia da Churrascaria Tucuruvi, em Belém (PA), é mais que alegria e a fez despertar para uma triste realidade: as pessoas que não podem ter em suas mesas a fartura ofertada diariamente aos clientes em seus dois restaurantes. Observar a manipulação dos alimentos e saber que parte acaba sendo destinada ao lixo, fez a empresária pensar que poderia ajudar famílias carentes a ter também seu momento de felicidade.

Com esse pensamento, em 2009, ela colocou em prática sua primeira iniciativa de solidariedade, que seria precedida por várias outras. "Fizemos uma doação de fraldas descartáveis para uma creche e verificamos que a maior parte das mães tinha outras necessidades e poderíamos fazer mais por elas", lembra. As fraldas doadas foram arrecadadas pelos empregados da churrascaria, que até hoje são os principais apoiadores da empresária em todas as ações que realiza.

Percebendo que poderiam fazer mais, Rosane Oliveira teve a ideia de, além de doar as fraldas, oferecer um café da manhã ou almoço para as pessoas. Os funcionários da churrascaria, mais uma vez, se prontificaram a colaborar. “Preparamos o almoço e fizemos uma grande confraternização", diz. A empresária ressalta que a iniciativa contou com um grande público e a alegria era perceptível. Com o sucesso da ação, não só aqueles que receberam a ajuda, mas também os empregados começaram a perguntar quando seria realizado o próximo almoço.

AÇÕES MULTIPLICADAS

Após o sucesso da iniciativa, Rosane Oliveira continuou a planejar formas de praticar a solidariedade. A empresária, além de mobilizar seus funcionários, também passou a contar com amigos, parceiros e fornecedores. Com esse apoio, realiza durante todo o ano uma iniciativa para arrecadar cestas básicas, que são entregues à igreja de Santo Antônio, que faz a distribuição para entidades carentes.

Além disso, ela também já abriu as portas dos seus restaurantes para receber as pessoas que auxilia. "Buscávamos 350 idosos e levávamos para um dos restaurantes, quando, além de servir um farto almoço, oferecíamos música aos nossos convidados. Ao final, eles recebiam a cesta básica e iam embora felizes", relata.

 

PLANOS

Ver a corrente do bem que se formou faz com que Rosane Oliveira queira fazer e envolver cada vez mais pessoas. “Agora, nos sentimos responsáveis em fazer com que essas ações nunca parem e só avancem no sentido de beneficiar quem realmente precisa”, ressalta.

A empresária ainda convidou outros donos de restaurantes de Belém para participar de suas iniciativas, sugerindo que juntos todos possam contribuir. Com isso, de acordo com ela, o custo para os empresários chegaria a ser quase zero, visto que um maior número de pessoas estaria envolvido. A ideia ainda não foi colocada em prática, mas a expectativa é que se concretize.

Realizar todas essas ações, segundo Rosane Oliveira, é engrandecedor. “Muitas pessoas ficam preocupadas e dizem que não têm recursos financeiros para ajudar. No entanto, precisamos nos unir para que tudo fique mais fácil. Além disso, o empresário pode doar sua presença, sua palavra. Se todos tivessem essa compreensão, poderíamos transformar essa corrente do bem em algo muito maior”, conclui.

 

Fonte: Revista MNMV nº12