08/02/2015 - Você tem um grande líder?

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Saiba como identificar o perfil de uma liderança. Espírito de equipe e talento para lidar com as pessoas são diferenciais

 

O conceito de líder evoluiu muito desde o século passado. Antes, dizia respeito à pessoa que chefiava, guiava um grupo. Hoje, porém, tem assumido significado cada vez mais amplo e o seu papel ganhou também em importância. No setor de bares e restaurantes, a correria do dia a dia, muitas vezes, impede que o proprietário de um estabelecimento esteja no local em tempo integral. Por isso, para o negócio caminhar nos trilhos, o empreendedor precisa contar com o apoio de um bom líder, em quem tenha confiança. No entanto, qual o melhor perfil? Como identificá-lo e fazer com que seja eficiente em um mercado tão competitivo e exigente?

Algumas características indicam atitudes de liderança. Prezar por um bom atendimento, gostar do que faz, ter empatia e também a capacidade de influenciar as pessoas ao redor, apresentar disposição ao executar as tarefas, ser ético, flexível, assim como saber ouvir e delegar. De acordo com Cézar Campos, psicólogo e executive search, a liderança se faz com exemplos cotidianos. “Um líder que conquista as pessoas não impõe suas ideias, mas dialoga, reflete as opiniões. Ele convence pelo exemplo, pela coerência das ideias ou pela discussão dos temas, e nunca pela imposição. Olíder não tem seguidores, mas pessoas em torno de si que aderem à sua ideia e compartilham dos mesmos ideais”, explica.

Já para Lourdes Maria Silva Freitas, docente do curso de Desenvolvimento de Liderança do Senac Osasco, um bom líder é aquele que sabe conduzir e cuidar da equipe. “A forma como estabelece relações com parceiros, como lida com as situações diárias, como se comunica com o grupo, se está à disposição para servir sempre, são pontos importantes de um profissional que está à frente de uma equipe”, afirma.

Por fim, uma das principais características de um líder é a consciência sobre qual o propósito maior da empresa e como traduzi-lo em ações para cada funcionário. “É necessário ter também excelente capacidade de comunicação, ou seja, saber dialogar com os empregados e clientes, ser um exemplo para seus liderados”, ressalta Silvio Celestino, coach e sócio da Aliance Coaching.

 

Avaliando o perfil

É possível dizer, segundo Lourdes Maria, que o bom líder é aquele escolhido “sob medida” para o negócio. A especialista explica que a escolha começa pelo desenho do perfil do cargo, o qual dever ser estruturado à luz do cenário atual do empreendimento, adequado às perspectivas futuras. “É preciso ter em mente as seguintes questões para reflexão: qual o papel do líder dentro do contexto? Quais as prioridades no meu bar ou restaurante? Como está a qualidade no atendimento? E a saúde financeira da empresa? A relação com os parceiros vai bem? As estratégias de vendas estão sendo alcançadas? Como está a imagem do estabelecimento? Quais os planos para aumentar a clientela? Com esses e outros questionamentos é possível definir a escolha de uma boa liderança”, avalia.

Além disso, a especialista reforça que é preciso levar em consideração a experiência comprovada no setor de bares e restaurantes, o poder de saber negociar, delegar, conduzir a equipe de forma produtiva sem perder a qualidade e ter empatia com a clientela.

Cézar Campos faz análise semelhante à de Lourdes Maria. Para ele, o histórico profissional diz muito do que a pessoa é e do que pode ser na empresa. “Portanto, nada como as referências anteriores, mas é preciso cuidado com o julgamento de terceiros, pois o que não foi bom para determinada empresa, pode ser ótimo para a sua. É importante saber quais os critérios usados por quem está repassando as informações, pois ‘ruídos de comunicação’ podem arruinar a carreira de alguém”, explica o psicólogo.

Ele ressalta que alguns critérios técnicos são importantes para assegurar menor possibilidade de equívoco nas contratações. Como, por exemplo, um laudo psicológico para não ter surpresas desagradáveis na contratação. “Isso não isenta do risco de desvios de condutas, mas diminui as chances de erros. Uma boa entrevista feita por um gestor experiente é fundamental.”

Identificar e manter um líder no setor de bares e restaurantes não é tarefa fácil. Para Silvio Celestino, poucas áreas são tão desafiadoras. “Em geral, os líderes empresariais trabalham em salas fechadas e o resultado de suas ações possui uma longa cadeia até chegar ao cliente final. Em um bar ou restaurante, os líderes estão expostos e muito próximos dos clientes finais. Um erro na gestão será facilmente percebido pelo consumidor e, em geral, pouco tolerado”, afirma.

O comportamento do líder, de acordo com ele, é primordial no momento em que há o contato direto com o cliente, sendo decisivo para a percepção a respeito da empresa. “Ele poderá viver uma experiência empobrecedora, que destruirá o valor da marca do bar e restaurante, ou poderá vivenciar uma experiência marcante, relevante e inspiradora, que o fará voltar muitas vezes. O mais importante: se tornará um defensor da marca. Isso irá fazê-lo também trazer mais amigos para conhecer o local. Essa conexão entre a liderança e a lealdade do cliente é o que faz a empresa crescer com lucratividade”, conclui.

 

Fonte: Revista Bares & Restaurantes nº101 *Matéria na íntegra na versão impressa