11/12/2014 - Profissionais falam sobre o casamento entre o turismo e a gastronomia

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Gastronomia e turismo estão em pauta no Brasil

 

O turismo e a gastronomia andam praticamente de mãos dadas. Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), atualmente o setor representa 2,7% do PIB brasileiro e quase 40% do de turismo. O Brasil possui uma vasta lista de roteiros gastronômicos que, consequentemente, movimentam esse universo.

De acordo com Angélica Santa Cruz, diretora de redação da revista Viagem e Turismo, da Editora Abril, experimentar os sabores locais faz cada vez mais parte dos desejos dos turistas e, consequentemente, dos leitores. Como a publicação é focada em destinos, Angélica afirma que não há uma separação dos lugares exclusivamente por sua “pegada” gastronômica, mas que isso está incluso no “pacotão” de atrações.

“À medida que vão ficando mais maduros, os viajantes brasileiros têm até um senso de merecimento maior: eles provam as comidas de rua e as dos restaurantes de preços camaradas, mas também perdem o receio de vez por outra encarar os locais estrelados dos chefs inovadores. Se dar ao luxo de comer muito bem vai crescendo como parte da experiência de uma viagem”, diz.

Desde seus primórdios, o tradicional Guia Quatro Rodas Brasil, que completa 50 anos em 2014, trata a gastronomia como parte obrigatória de cada destino. Na edição especial que chega às bancas agora em novembro, a publicação elaborou uma lista dos 50 Melhores Restaurantes do País, assim como a classificação de 2600 estabelecimentos.

Segundo Angélica, a maneira como a Viagem e Turismo aborda as pautas sobre o tema depende muito do destino. “Quando o lugar pede, esgotamos o assunto: falamos dos novos restaurantes, dos chefs que estão inovando, das tradicionais comidas de rua, dos pratos típicos. Às vezes, a culinária do lugar é a pauta em si”, diz. Como exemplo, cita uma reportagem recente sobre San Sebastián, na Espanha.

 

Caçadores de experiências

Intitulado como “a maior rede de caçadores de experiências gastronômicas no Brasil”, oDestemperados visa expandir esses conteúdos para as plataformas digitais, realizar um festival de gastronomia, entre outros eventos. “Para os cadernos dos jornais, nossa proposta é ampliar o escopo de conteúdos trabalhados, incluindo dicas de restaurantes, informações sobre bebidas e matérias sobre tendências, além das tradicionais receitas”, diz Diego Fabris, sócio e diretor do Destemperados.

“Nossa ideia é mostrar a riqueza de cada lugar, entendendo suas peculiaridades. Trabalhamos com públicos bem variados. Tem desde o consumidor que quer apenas os lugares confirmados até aquele que só vai atrás do desconhecido. Cada vez mais notamos que as pessoas querem ir naquele lugar que os amigos nunca foram e ter histórias diferentes para contar”, afirma.

Para Angélica, a imprensa é grande aliada em deixar a gastronomia brasileira cada vez mais em evidência, tanto na esfera nacional como na internacional. “Se falarmos em alta culinária, a visibilidade lá fora aumenta com a movimentação dos restaurantes brasileiros em listas classificatórias, com os eventos especializados e a consequente cobertura de veículos. Aqui dentro, a cobertura também é de grande valia. Informação de qualidade tem um poder acachapante”.

 

Fonte: Portal Imprensa