27/11/2014 - Transpiração e muita dedicação

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Vencedor do Comida di Buteco de São Paulo 2014, o Bar do Xandão é sinônimo de persistência e levou o primeiro lugar em sua estreia no festival

 

José Alexandre Trama, o Xandão, é daquelas pessoas que colocam o coração em tudo o que fazem. De família italiana, o empresário se mostra um apaixonado pela gastronomia. Ao contar sua trajetória até se tornar o vencedor do Comida di Buteco de São Paulo (SP) deste ano, ele não conseguiu segurar a emoção. Com a voz embargada por diversas vezes, Xandão contou como o bar, que leva seu nome – Bar do Xandão – saiu do anonimato para se tornar conhecido nos quatro cantos da maior cidade da América Latina.

O prato criado por ele foi o “Lombotone Grill Xandão”, feito com fatias de lombo enrolado com provolone e bacon, acompanhado de farofa, vinagrete e molho de ervas. Para criar o prato, ele lembra que se inspirou na avó, a quem ele chamava de mãe. “Durante a noite, eu pensava nas receitas que queria fazer e na minha mãe, que faleceu em 2013, pois queria que ela estivesse comigo no momento que eu fosse criar o prato. Já fazia um bife normal, com muçarela, e grelhava. Fui, então, testando outras maneiras. Fiz um, dois, até chegar ao prato que apresentei no festival”, explica.

Para dar conta de toda a preparação, durante o Comida di Buteco, Xandão revela que, apesar de abrir o bar apenas às 17h30, às 7h já estava de pé, fazendo toda a pré-preparação do prato. Além disso, era preciso deixar o bar organizado para os clientes. Isso porque, para ele, o segredo do sucesso é o proprietário acompanhar tudo de perto. “Sempre trabalhei na churrasqueira. O dono precisa ser presente no negócio. Não adianta somente demandar ou o prato não será preparado da maneira como se deve”, reitera.

Antes do festival, o bar funcionava com Xandão na churrasqueira e na preparação os pratos e um empregado trabalhava na lavagem das louças e no atendimento às mesas. Durante o Comida di Buteco, mais dois funcionários foram contratados para auxiliar na demanda. Depois, com o bom resultado, um deles foi mantido no estabelecimento.

Vitória inesquecível

Participar do Comida di Buteco de São Paulo sempre foi um desejo de Xandão desde a primeira edição, em 2012. “Eu até cogitei participar na segunda edição, mas minha mãe estava bastante doente e me disse para ter paciência. Este ano, descobri que os bares tinham que ser indicados para participar e um dia, vieram duas moças ao bar, me fizeram várias perguntas, e depois descobri que elas eram da organização do Comida di Buteco e eu estava dentro”, lembra.

Ao longo do festival, o empresário destaca que chegou a perder oito quilos, tamanha a demanda. No dia da divulgação do resultado, Xandão garante que já sentia que iria ganhar. “Foram abrindo os envelopes e anunciando do quinto colocado até chegar ao primeiro. Quando falaram que o vencedor era o Bar do Xandão, senti a maior emoção da minha vida.”

No dia seguinte ao anúncio do resultado, seu bar, que tem 12 mesas e comporta simultaneamente 40 pessoas, tinha em sua porta mais de 400 clientes. “Eu nem tinha mais o prato pra servir e as pessoas diziam que eu era o orgulho da Vila Matilde. Tiravam até fotos comigo. Foi uma coisa de louco”, relata.

De acordo com Xandão, o Comida di Buteco mudou sua vida. Ele explica que, agora, onde quer que vá em São Paulo, as pessoas sabem quem ele é. Novos clientes também começaram a frequentar o bar, de todas as regiões da cidade, mesmo as mais distantes. “O festival me deu uma visibilidade e uma credibilidade que jamais teria.”

Porém, para ter sucesso, o empresário alerta que é preciso trabalhar muito e de maneira correta. Outra dica é que não se deve preocupar com o concorrente, mas sim com o prato que ele está fazendo e os ingredientes utilizados. Para Xandão, é primordial garantir que os produtos sejam de qualidade e o preço justo.

 

Fonte: MNMV nº11 *Matéria na íntegra disponível na versão impressa