17/11/2014 - Pizzarias enfrentam maior concorrência

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Empresários discutem maneiras de inovar e se diferenciar no mercado em crescimento

 

Buscar se diferenciar dentro de um mercado que cresce cada dia mais, porém na mesma medida em que também aumenta a concorrência. Essa foi a principal questão discutida no Congresso Internacional de Pizza (ConPizza), evento que reuniu empresários do setor em Sorocaba, semana passada, na sede da Associação Comercial de Sorocaba (Acso). Atualmente, a cidade conta com 120 pizzarias registradas no Sindicato de HOTÉIS , Restaurantes, Bares e Similares de Sorocaba (Sinhores). Para especialistas, diante do número crescente de empresas do ramo, cabe aos empresários investir em inovação e se diferenciar.

O setor da pizza no Brasil movimenta cerca de R$ 8,5 bilhões ao ano, com uma estimativa de crescimento de 8%. Segundo a Associação Pizzarias Unidas, são vendidas 620 mil pizzas por dia apenas no Estado de São Paulo. Apesar de os números serem positivos para o setor, o crescimento desse mercado pode não significar boa notícia para muitos proprietários de pizzarias, avaliam Adilson Barboza, diretor da Adec Gestores, e Carlos Zoppetti, cofundador da Associação Pizzarias Unidas. Os dois estiveram em Sorocaba, no Conpizza, para discutir com empresários sorocabanos maneiras de impulsionar o setor.

"Sorocaba, a gente já sabe que é um polo super desenvolvido nessa área de alimentação, que é o food service", diz Zoppetti. Segundo ele, muitos empresários, do ramo de pizzarias, buscam se capacitar e que, por isso, o ConPizza ocorre pela segunda vez na cidade. "Em Sorocaba houve adesão muito grande e retorno do pessoal que participou da primeira vez."

De acordo com Barboza, o consumo de pizza pelo brasileiro cresce todos os anos e isso é acompanhado pelos demais segmentos do comércio, que também aproveitam para faturar. "Porque todos os lugares vendem pizza. O problema é que a padaria vende, o posto de gasolina está vendendo, os supermercados vendem - e estes, além das de marca, ainda fazem as deles."

Se por um lado o mercado de pizzas cresce, por outro as pizzarias passam por problemas, atesta o diretor da Adec Gestores. "Cresce o consumo, mas o ramo de pizzarias não consegue acompanhar, por causa da concorrência." Por isso, acrescenta Barboza, os empresários que possuem estabelecimentos do ramo devem se diferenciar.

"Hoje, qualquer pizzaria consegue ter o mesmo produto, a não ser que seja algo diferente, um tempero ou marinado diferente. Mas o Catupiry é o mesmo, a farinha é a mesma", ressalta Barboza. Segundo ele, em face da semelhança entre os produtos feitos pelas pizzarias brasileiras, a saída está na gestão. Ou, conforme Zoppetti, na necessidade de se capacitar para ser diferente. "Através da capacitação, da procura das informações dos concorrentes e do mercado, para fazer planejamento." Para ele, essa concorrência acirrada não permite margens para que os empresários errem.

 

Inovação

Investir na diferenciação e na inovação é o segredo para que o empresário do ramo de pizzarias sobreviva nesse cenário de forte expansão. Essa é avaliação de Adilson Barboza, da Adec Gestores. Para ele, é obrigatório que o empresário se diferencie e mantenha o foco nas áreas de inovação do setor. "É uma necessidade básica, se não, não consegue se manter."

Conforme Barboza, a inovação completa é aquela que se volta para três questões: equipamentos, atendimento e produto. "Nós mostramos pessoas fazendo pedido de pizza no próprio carro, por meio de um aplicativo, que você faz por voz", explica, como exemplo. Ainda com a utilização da tecnologia, acrescenta ele, é possível aumentar a produção e reduzir os custos. "É preciso seguir as tendências e buscando inovações nas três áreas", conclui Barboza.

 

Fonte: Cruzeiro do Sul *Matéria na íntegra disponível no site