04/11/2014 - Turismo de negócios em alta

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Crescimento do turismo de negócios em Goiás é oportunidade  para setor de alimentação fora do lar

 

O turismo de negócios e lazer em Goiás estima movimentar mais de R$ 900 milhões em 2014. Nos bastidores, a atividade abre cortinas para 52 segmentos e é porta de entrada para primeiro emprego , estágio, além de absorver mão de obra técnica e qualificada. De forma geral, nos últimos anos, o desempenho do setor é muito superior ao da economia goiana. Uma das vantagens desta atividade econômica é que os eventos ocorrem ao longo de todo o ano, equacionando períodos sazonais e equilibrando a relação de oferta e procura.

O cálculo é de representantes do setor, cujo alicerce é o repasse de tributos. Apenas no primeiro semestre deste ano, o setor arrecadou R$ 43,9 milhões para o cofre público estadual, montante 15% superior se comparado ao mesmo período de 2013. A importância do segmento para a economia local pode ser sentida pelo burburinho de reclamações fomentadas pela captação de poucos eventos no primeiro semestre deste ano - 12 conforme agenda do Goiânia Convention & Visitors Bureau. A justificativa é que a capital goiana foi prejudicada com a Copa do Mundo, mas vêm demonstrando fôlego de recuperação.

A reviravolta no segundo semestre não é atribuída ao volume de eventos captados, mas à grandiosidade de alguns deles. Das 172,5 mil pessoas que devem participar de eventos em Goiânia nestes últimos seis meses, 100 mil virão para a última etapa da Fórmula Truck deste ano, marcado para o dia 7 de dezembro, no Autódromo Internacional de Goiânia. A captação para 2015 já soma 40 eventos de âmbitos nacional e internacional. O que promete atrair o maior número de pessoas é o XI Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, com 8 mil visitantes. O de menor impacto deve reunir 400 participantes. “O interessante é que é um dinheiro  novo, que vem de fora e incorpora a massa de renda dos goianos”, afirma o presidente do Goiânia Convention Bureau & Visitors, Newton Pereira.

 

Turistas

O supervisor regional de vendas da indústria Zegla, de Bento Gonçalves (RS), Luiz Carlos Prigol, despediu de Goiânia ontem após se hospedar  por seis dias na capital. Ele participou da Fenatran, evento nacional que reuniu 5 mil pessoas no Centro de Convenções entre terça-feira e sexta-feira. “Vou deixar R$ 3 mil aqui”, diz.

Além da hospedagem , frequentou restaurantes, abasteceu o carro e a surpresa ficou com a passadinha no shopping. “Já comprei roupas para mim, lembranças para a esposa e para a neta que vai nascer”, diz.

O hábito do supervisor é comum à maioria dos visitantes. “O perfil dos clientes é bom. Eles gastam 50% a mais que os clientes convencionais”, diz, sem citar cifras, o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel GO), Rafael Campos. Conforme ele, os turistas buscam bares mais tradicionais e costumam experimentar a culinária regional.

O presidente do Sindicato dos Taxistas, Silone Pacheco, sabe muito bem a trajetória desse tipo de turista. “Depois dos eventos, principalmente no Centro de Convenções, eles costumam ir para bares, restaurantes e boates. Taxista ri à toa”, comenta.

Ele calcula que o incremento na receita é de, no mínimo, 30%. O volume de dinheiro novo, de fora da praça, é significativo. A frota de Goiânia é composta por 1.820 carros.

 

Fonte: O Popular *Matéria na íntegra disponível no site