12/09/2014 - Mesmo com aumento da renda, 51% dos brasileiros gastam mais do que ganham

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Mesmo com um aumento de quase 7% na renda (2013 x 2012) e uma maior conscientização dos gastos, pesquisa realizada pela Kantar Worldpanel mostra que o endividamento no Brasil ainda é alto. A renda média do brasileiro em 2012 era de R$ 2.603, já em 2013 registrou um aumento de 6,8%, e ficou em R$ 2.779. Porém, o gasto médio do consumidor em 2013 foi de R$ 2.762, uma alta de 8,7% se comparado com 2012. Dentro deste cenário, a classe social mais endividada é a DE, com 53% das famílias gastando mais do que ganham.

- O acesso ao crédito pode ser a explicação para o alto endividamento no país. Cerca de 3,7 milhões de domicílios passaram a utilizar essa forma de pagamento na hora de comprar bens de consumo não duráveis. Em 2009, 57% dos brasileiros optavam por esse meio de pagamento, já no ano de 2013, 61% fizeram suas compras com cartão de crédito - explica Christine Pereira, diretora comercial da Kantar Worldpanel.

Quando questionados sobre as prioridades dentro do lar, as famílias declararam que a habitação, compra e manutenção de imóveis, aluguel e mão de obra foram seus maiores gastos em 2013. Seguido de alimentação dentro do lar, vestuário, alimentação fora do lar e higiene pessoal. No ano de 2012, as prioridades das famílias eram com alimentação dentro do lar, transporte, vestuário, educação e serviços financeiros.

Com a inflação acelerada dos últimos anos, a alimentação fora do lar foi um dos gastos que mais pesou no bolso de todas as regiões do país, com um aumento de 14%. Com isso, cerca de 1,2 milhões de pessoas deixaram de fazer refeições fora de casa. Depois desse aumento, as principais refeições passaram a serem feitas dentro do lar do brasileiro. Porém, isso não significa necessariamente economia, alguns alimentos como, salgadinho, doces e pratos congelados também contribuíram para o aumento do gasto médio.

Quando falamos da alimentação fora do lar, o campeão nos gastos ainda é o café da manhã. As bebidas quentes entre as refeições, como chá, café com leite e chocolate, também colaboraram para o aumento nos gastos.

 

Fonte: Monitor Digital *Para ler na íntegra, acesse o site Monitor Digital