03/09/2014 - Abertura do 26º Congresso Nacional Abrasel reúne mais de mil pessoas em Brasília

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Autoridades políticas, empresários, lideranças do setor e jornalistas estiveram presentes em solenidade marcada por forte discurso em prol de melhores condições para empreender no Brasil.


A cerimônia de abertura do 26º Congresso Nacional Abrasel, realizada na noite do dia 12 de agosto, reuniu mais de mil pessoas, entre eles autoridades políticas, empresários, lideranças do setor e jornalistas, em Brasília. Um dos destaques da solenidade foi o forte discurso em prol de melhores condições para empreender no Brasil, feito pelo presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci Junior, e endossado por outros membros que compuseram a mesa de abertura.

Além de Solmucci, subiram ao palco o ministro de Estado-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, que esteve no evento representando a Presidenta da República, Dilma Rousseff; o ministro de Estado do Turismo, Vinícius Lage; o ministro de Estado do Trabalho e Emprego, Manoel Dias; e o presidente do Conselho Nacional de Administração da Abrasel, Pedro Hoffmann.

Também compuseram a mesa o senador Rodrigo Rollemberg; o deputado federal e secretário geral da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Setor de Alimentação Fora do Lar, Efraim Fiho; a secretária de Turismo de Maceió e presidente da Associação Nacional de Secretários e Dirigentes de Turismo das Capitais e Destinos Indutores (Anseditur), Cláudia Pessôa; o presidente da Embratur, Vicente Neto; o líder do Conselho Nacional da Abrasel, Newton Pereira; o presidente do Conselho Nacional do SESI, Jair Meneguelli; o secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro e Vice-Presidente do Fórum Nacional dos Secretários de Turismo (Fornatur), Cláudio Magnavita; e a gerente Gerente da Unidade de Comércio e Serviço do Sebrae Nacional, Ana Clévia Guerreiro Lima.

O presidente executivo da Abrasel abriu seu discurso ressaltando a importância crescente da alimentação fora do lar para a sociedade em transformação, que, segundo ele, enxerga este setor de uma maneira cada vez mais positiva. Na sequência, Solmucci convocou autoridades, parceiros e empresários a trabalhar lado a lado na construção de um cenário mais favorável para empreendedores. “Dentro desse protagonismo crescente do setor, nós, da Abrasel, nos vemos impelidos a ter uma atuação cada vez mais proativa, tentando construir um Brasil melhor e mais justo, onde empreender seja algo digno. Por tudo que conhecem do nosso setor, queria propor uma agenda de parceria para que juntos possamos construir um país ainda melhor”.

 

A inconstitucionalidade de alguns aspectos da Lei Seca, a dificuldade na obtenção do alvará de funcionamento, as injustiças e atrasos no âmbito da Justiça do Trabalho, a falta de regulamentação para o trabalho intermitente, e a lei que regulamenta os 10% da gorjeta foram alguns dos entraves apontados por Solmucci para que bares e restaurantes possam ser mais competitivos e prosperar no Brasil. “Precisamos imediatamente interromper esse ciclo vicioso e trazer mais competitividade e preços melhores para o consumidor brasileiro. Competitividade é uma pauta longa e intensa, mas que temos que incorporar no dia a dia de nossas empresas. Dentro desse contexto, precisamos praticar justiça social. (..) Não tem sentido que tudo isso que produzimos para a sociedade brasileira seja tratado dessa maneira. Esse problema não é de bares e restaurantes; é um problema do Brasil, é um problema nosso, que eu espero que seja tratado como um problema de governo e que seja resolvido”, reivindicou.

Vinícius Lage, ministro do Turismo, afirmou ter uma agenda de melhoria do ambiente de negócio e qualificação com a Abrasel. “O Paulo (Solmucci) apresentou aqui um desafio de buscarmos juntos um consenso, juntos com o governo federal, para que esses entraves que ainda impedem uma competitividade maior do setor possam ser superados, que nós possamos ter mais bares e restaurantes em todo país”, refletiu.

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, o Brasil está vivendo um momento econômico único, com criação de 4.460.000 empregos nos últimos quatro anos e lembrou que o setor de alimentação fora do lar tem importante papel nisso. “Claro que nós defendemos as garantias dos trabalhadores, mas também temos que ter sentido do que é fundamental para que possamos permanentemente (...) nos desenvolver na medida em que nos transformamos numa grande potência mundial”, observou.

O ministro de Estado-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, que falou em nome da presidenta da República, Dilma Rousseff, ressaltou que o setor de alimentação fora do lar está presente em todas as cidades do Brasil e que é, em sua maioria, formado por micro e pequenos negócios – muitos deles ainda informais. “O setor de bares e restaurantes representa mais de 20% do total das empresas do Simples, mas o que chama atenção é que ele chega a 60% de informalidade e informalidade não quer dizer que ele está fora da lei porque ele quer, mas quer dizer que a lei é fora dele. A lei não reflete a realidade. Hoje, nós precisamos enxergar o Brasil real e o nosso papel - que a presidenta Dilma nos determinou - é aproximar o Brasil real do Brasil ideal”, afirmou. Complementou observando que “as empresas têm medo de crescer e sair do Simples. No Brasil, parece que é proibido crescer”.

Coquetel – Após a cerimônia de abertura, foi realizado um coquetel com serviço de cinco restaurantes de Brasília: Bacco Pizzaria, Calaf, Carpe Diem, L’affaire e Mercado Municipal. Além disso, houve degustação de vinhos nacionais promovida pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pratos criados pelo programa Cozinha Brasil, do SESI.

Fotos: José Filho - Mais fotos em www.congressoabrasel.com.br/imprensa/