19/08/2014 - Novas franquias de alimentação focam um único produto

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

O segmento de alimentação tem a maior participação dentre todas as franquias e vem crescendo a cada ano em um ritmo acelerado.

São mais de 600 franqueadores, segundo dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising), ou seja, um leque enorme de opções para quem pensa em abrir um negócio na área de alimentação.

Logicamente, estamos falando desde grandes restaurantes, que operam com mais de 30 funcionários, até operações mais simples, com poucas pessoas na equipe. As diferenças não estão somente no tamanho ou na complexidade na operação, mas também na especialização de cada marca.

Hoje são marcas de culinária japonesa, chinesa, italiana, árabe, brasileira, dentre tantas outras. Essa variedade atrai diferentes perfis de empreendedores.

É mais fácil encontrar uma franquia que se encaixe nas expectativas e características de um investidor e o melhor modelo que se adequa a sua realidade de investimento e de dedicação.

Um ponto importante, independentemente de qual modelo de negócio um empreendedor irá fazer, é o aumento da alimentação fora do lar que vem crescendo consistentemente nos últimos cinco anos, provando que as redes de franquias são uma das opções mais buscadas pelos consumidores.

As redes começam a oferecer modelos de investimentos mais baixos e com operações mais simplificadas, o que ajuda empreendedores com pouca experiência no setor ou pouco capital para investir.

Novas tendências são a "gourmetização" e as redes monotemáticas, que conquistam pessoas com ideias diferentes ou com novas estratégias para negócios já estabelecidos.

O setor de alimentação tem criado também um ambiente propício para inovação, seja nos tipos e opções de pratos servidos, seja no atendimento, modelos de negócio e tecnologia.

Vale destacar as franquias baseadas em um único produto, que vem ganhando espaço nos shopping centers e no comércio de rua, como lojas de brigadeiros, bolos caseiros, frozen yorgurte, cachorro-quente, tapioca, entre outras.

Essa é uma tendência que deve ser considerada, porém, tem de ser bem avaliada antes de investir, pois muitos modelos estão apoiados muito mais no fato de ser novidade do que em ter um modelo rentável e sustentável a longo prazo.

Como muitos destes modelos acabam criando novos nichos de consumos, exclusivos de um único produto, ainda não existe um histórico de tempo confiável de demanda para determinar o potencial real que os mesmos terão daqui dois, ou três anos.

Por isso, se você pretende crescer neste mercado e aproveitar uma oportunidade nos novos modelos, certifique-se de que o franqueador tenha realizado um profundo estudo de mercado e trabalhe com as expectativas mais conservadoras.

 

Fonte: UOL Economia