29/07/2014 - Mc Donald’s determina prazo para reconstrução

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Rede de fast food quer tornar-se “uma marca mais confiável e respeitável”

Um ano e meio. Esse é o prazo que os executivos do McDonald’s determinaram para um processo de reconstrução da marca. A avaliação é de que a empresa precisa ser vista como um destino atrativo para se fazer refeições, e não apenas uma rede que serve comida barata.

As informações são da Bloomberg/Businessweek. O veículo usa uma conferência com analistas realizadas nesta semana pela empresa, comandada pelo presidente e executivo-chefe da companhia, Don Thompson.

O período de dezoito meses é considerado estratégico para o McDonald’s definir seu planejamento para os próximos anos, uma vez que as vendas seguem em queda no principal mercado da empresa – seja pela ascensão de rivais com conceito mais alinhado aos desejos da Geração Y, como o Chipotle, seja pelo acúmulo de notícias desfavoráveis, como problemas com o serviço e questões relacionadas ao salário dos funcionários.

De acordo com a Bloomberg/Businessweek, Thompson afirmou que a meta é tornar a marca McDonalds “mais confiável e respeitável”. A matéria cita dado de pesquisa da Infegy que revela que, nas redes sociais, mais de um terço das conversas sobre o McDonald’s ao longo do último ano tinham uma conotação negativa. Nesta semana, a empresa viu-se envolvida no escândalo da carne estraga na China. Outras grandes marcas também foram impactadas pela crise.

As ações a serem tomadas parecem não incluir o redesenho da identidade visual. O foco será no aumento da qualidade do serviço e na revisão dos itens do menu, para que as ofertas fiquem mais de acordo com a necessidade de uma dieta mais equilibrada.

Na busca de criar uma nova experiência para as refeições nas lojas da rede, o McDonald's tem feito testes em restaurante na costa oeste dos Estados Unidos. Chamado de “learning lab”, o local funciona também como uma central de feedback para a comida e o serviço oferecidos pela marca.

 

Fonte: Meio e Mensagem