11/07/2014 - Setor de turismo faz as contas sobre faturamento na Copa do Mundo

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Em algumas capitais, o índice de ocupação de hotéis chegou a 90%. Catorze milhões de passageiros passaram pelos aeroportos brasileiros.

Na última semana da Copa do Mundo, o setor de turismo começa a fechar as contas sobre o faturamento nesse Mundial. Em algumas capitais, o índice de ocupação de hotéis chegou a 90%. O maior movimento também beneficiou as empresas aéreas.

Catorze milhões de passageiros passaram pelos aeroportos brasileiros durante a Copa, segundo dados da Secretaria de Aviação Civil. As capitais com maior movimento foram São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

No aeroporto de Brasília, o desembarque de torcedores é grande por causa do último jogo do Brasil, contra a Holanda, no sábado (12). Na capital brasileira, o dia mais movimentado durante o campeonato até agora, foi a véspera do jogo da Argentina contra a Bélgica, na semana passada, quando 58 mil passageiros desembarcaram na cidade. A média foi de um avião a cada três minutos.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, no Rio de Janeiro e em Fortaleza, 90% dos hotéis foram ocupados. Salvador também recebeu muitos turistas: 85% das vagas foram ocupadas. Já nos hotéis de Manaus e Brasília, o índice foi bem menor: 55%.

No setor de alimentação, os donos de restaurantes se queixam de queda no movimento. Na verdade, essa foi a Copa dos bares, que faturaram, em média, 25% a mais em todo o Brasil.

Os turistas que passaram pelo país não queriam caminhar muito. “Como a gente estava próximo do estádio, isso foi um fator importante. Procuravam um lugar no bar para comemorar”, analisa Alcione Ricardo Peruzzi, proprietário de um bar em Brasília.

As vendas cresceram 35% no bar de Alcione. Os dias de maior movimento foram nos jogos da França contra a Nigéria e do Brasil contra a Colômbia. A cerveja foi o carro-chefe nas vendas. O dono do bar comemora e diz que tudo foi pensado para dar certo, da decoração ao número de funcionários.

Jair da Silva Ferreira foi um dos oito garçons contratados para reforçar o time durante o Mundial. Ele trabalhou direitinho, conquistou o patrão e uma vaga na empresa. “Tô satisfeito. Agora é só dar continuidade e procurar o melhor”, comemora.

 

Fonte: Jornal Hoje *Assista o vídeo no site do Jornal Hoje