12/03/12 - Para não pôr aviso de suspeita de câncer em embalagem, Coca e Pepsi mudam receita

A Coca-Cola e a Pepsi anunciaram ontem alterações na produção de um ingrediente de seus refrigerantes, o chamado corante caramelo, para evitar a necessidade de colocar um aviso em seus produtos sobre o risco de câncer. As mudanças não alterarão o gosto, a cor ou a fórmula do refrigerante, de acordo com pronunciamentos das duas empresas. Elas informaram que exigiram de seus fornecedores do ingrediente modificação no processo de fabricação com o objetivo de limitar a exposição do consumidor a substâncias tóxicas.

A alteração tem a finalidade de reduzir a quantidade de um componente usado na fabricação do corante denominado 4-metilimizadol ou 4-MI. Em janeiro deste ano, ele foi adicionado à lista de substâncias cancerígenas que o governo californiano divulga anualmente em decorrência de uma norma de 1986. Altos níveis dessa substância foram relacionados a câncer em animais, após testes com ratos.

No início da semana, uma organização norte-americana sem fins lucrativos da área de nutrição e segurança alimentar, o Center for Science in the Public Interest (CSPI), declarou que encontrou a substância em níveis perigosos em latas de Coca-Cola e Pepsi. O órgão fiscalizador do governo norte-americano, o U.S. Food and Drug Administration, informou que está analisando um requerimento do CSPI, mas afirmou que as bebidas ainda são consideradas seguras. Um porta-voz do FDA disse que uma pessoa teria de beber bem mais de mil latas por dia para atingir as doses administradas nos estudos que mostraram a conexão com câncer em roedores.

 

Fonte: Correio Braziliense