04/06/2014 - Crescimento fomentado na inovação

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Sempre atenta às oportunidades, Peixaria Tambaqui de Banda já negocia novo modelo de comercialização para Copa do Mundo

 

Acomodação realmente não é algo presente no negócio de Mário Valle, proprietário da Peixaria Tambaqui de Banda, localizada em Manaus (AM). Inaugurada em julho de 2011, a casa foi sucesso desde a primeira semana de funcionamento. Para o empresário, a receita do sucesso reúne uma série de ingredientes como planejamento, inovação e busca constante de inserção em novos mercados.

Quando abriu as portas, o restaurante tinha oito funcionários e dispunha de 32 lugares. Com apenas duas semanas foi necessário realizar uma expansão, passando para 100 lugares. “Houve fila de espera e percebemos que seria necessário ampliar o número de mesas, para não deixar as pessoas muito tempo sem serem acomodadas”, lembra Mário. Hoje, ele já possui 78 funcionários e 260 lugares, atendendo uma média de 12 mil clientes por mês.

O peixe que dá nome ao restaurante é o carro-chefe da casa. O tambaqui é típico da bacia Amazônica, sendo uma das espécies mais desejadas pelos pescadores por sua forte briga e farta carne, com pouca espinha e de excelente sabor. É um dos maiores da região, chegando a atingir, aproximadamente, 90 centímetros de comprimento e 30 quilos. O “de banda”, que complementa o nome da casa, faz referência à forma como a iguaria é preparada. “Dividimos o peixe ao meio, ou seja, em duas “bandas”, e o levamos à brasa. Por isso, o nome Tambaqui de Banda”, explica.

 

Primeiros passos

Seis meses antes de abrir a peixaria, Mário tomou decisões importantes. Primeiramente, se associou a Abrasel. “Percebi que, como associado, teria uma série de orientações que seriam fundamentais para o estabelecimento, como, por exemplo, a indicação de profissionais para fazerem as adequações corretas no imóvel.” Ele ressalta que também contratou um contador por indicação da entidade.

A ideia inicial do negócio era de atender, principalmente, por delivery, venda por internet – que ainda não existia na cidade – e balcão. A aceitação para todas as modalidades foi tão grande e crescente, em um curto período de tempo, inclusive para consumo na própria peixaria, que foi preciso ampliar a estrutura para suprir a demanda.

Para dar conta de atender a tantos pedidos, Mário inovou também na maneira de preparar o tambaqui. Sendo o peixe o prato principal da casa, ao invés de esperar que os pedidos cheguem à cozinha, a iguaria, que tem um tempo de preparo de cerca de 50 minutos, começa a ser feita antes mesmo de o restaurante abrir as portas, o que diminui o tempo de espera dos clientes para 15 minutos.

Assá-lo na brasa, sem a espinha, era algo que já era realizado por alguns restaurantes, mas Mário decidiu colocar como regra em sua peixaria, oferecendo o prato por um preço muito menor que muitos restaurantes da cidade. “Antes, você tinha duas opções: pagava cerca de R$ 110,00 pelo prato em um bom restaurante ou tinha que se arriscar em barracas de rua, sem nenhuma garantia de procedência e higiene. Chegamos ao mercado proporcionando um ambiente agradável, climatizado, confiável, e com preço justo de R$ 40,00”, destaca.

Conseguir cobrar pelo tambaqui menos da metade do valor que os restaurantes praticavam na cidade tem uma explicação. Como o peixe é o principal prato da casa, o empresário compra o ingrediente em grandes quantidades, o que torna o preço muito mais competitivo. Além disso, o prato não é servido com muitas guarnições. Ele é servido com arroz branco ou baião de dois (mistura de arroz, feijão e carne seca), farofa e vinagrete. O foco, de acordo com o empresário, é valorizar o sabor do peixe.

 

Tambaqui de pé! Para a Copa

Sempre atento às novas oportunidades – após ver o feijão tropeiro ser vendido no Mineirão, em Belo Horizonte (MG) – Mário foi em busca de uma alternativa para comercializar o peixe nos estádios, durante a Copa do Mundo e grandes eventos que acontecerão no Brasil, e criou o Tambaqui de Pé!. A modalidade vai permitir que a iguaria seja saboreada sem a necessidade de se sentar à mesa.

Para que isso fosse possível, o empresário encontrou inspiração nos britânicos, com a modalidade Fish and Chips. “O peixe será cortado em tiras e congelado. Quando for preparado para o cliente, será empanado e frito, encapsulando assim o sabor do peixe”, explica. O Tambaqui de Pé! será servido em embalagens em forma de cones, que terão as cores dos países que estarão jogando. Além disso, as pessoas poderão escolher um molho de sua preferência, que terá referências a diversas localidades, como o barbecue dos Estados Unidos e tártaro da Inglaterra.

O intuito é também vender a iguaria na pré-Olimpíada em 2015, nas Olimpíadas em 2016 e nas Paraolimpíadas em 2017. Além disso, um modelo de franquia do Tambaqui de Pé!, com quiosques em shoppings, já é estudado e a meta é iniciar sua implantação também em localidades fora de Manaus.

 

Fonte: Revista Meu Negócio Minha Vida nº8 *Matéria na íntegra disponível na versão impressa