22/05/2014 - Moradores do interior consomem R$ 827 bilhões por ano

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Pesquisa do Sebrae e Data Popular revela potencial do mercado longe das capitais e as oportunidades para os pequenos negócios

De cada R$ 10 gastos no Brasil, R$ 4 correspondem ao consumo efetuado no interior do país. Levantamento inédito do Sebrae, realizado em parceria com o Instituto Data Popular, mostra que o consumo fora das capitais e regiões metropolitanas soma R$ 827 bilhões ao ano, o equivalente a 38% do total do consumo no país. Esse cenário confirma a existência de um ambiente promissor para os pequenos negócios, na medida em que metade da população brasileira vive no interior e que essas regiões vêm apresentando um crescente desenvolvimento econômico.

“O consumo no interior hoje já é maior do que o PIB de muitos países, como Chile, Dinamarca ou Portugal, por exemplo. E ainda há muito potencial de crescimento, em especial para as micro e pequenas empresas que estão nessas localidades e conhecem melhor os mercados e as demandas da sua população”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. “Além disso, a pesquisa mostrou que os consumidores no interior definem suas compras principalmente com base no preço e na qualidade e dão menos importância à marca, o que favorece as empresas menores que se preparam para oferecer bons produtos e serviços”, complementa.

Brasil tem 4,6 mil municípios fora das capitais e regiões metropolitanas que reúnem 94,3 milhões de habitantes, o equivalente a 49% da população. A grande maioria (74%) desses moradores do interior vive em áreas urbanas, e apenas 26% vivem em áreas rurais. Entre os trabalhadores, 77% ganham até dois salários mínimos (já nos grandes centros, 64% estão nessa faixa de renda). “Embora a renda seja menor no interior, o consumo vem sendo favorecido pelo desenvolvimento das cidades e pelo aumento da circulação de dinheiro nos municípios. Uma das razões é o fato que 63% dos beneficiários do Bolsa Família vivem no interior”, destaca Renato Meirelles, presidente do Instituto Data Popular.

No último ano, os moradores dessas cidades gastaram R$ 265 bilhões de reais na manutenção do lar e outros R$ 118,4 bilhões com alimentação no domicílio. Medicamentos, material de construção e alimentação fora do lar (em restaurantes, bares e lanchonetes) também estão entre os principais gastos.

Nos próximos 12 meses, esses consumidores planejam comprar principalmente móveis para a casa, TVs, geladeiras, máquinas de lavar e viajar de avião. “O desejo de consumo representa bons negócios não apenas para o comércio, mas para todos os outros segmentos envolvidos. Isso porque será preciso fabricar móveis, prestar manutenção para as TVs, geladeiras e lavadoras, ter agências de viagens e lojas para vender malas, por exemplo”, avalia o presidente do Sebrae, que vê mais chances para as micro e pequenas empresas. “73% dos municípios do interior têm menos de 20 mil habitantes, o que diminui o interesse das grandes redes. Já o pequeno negócio pode nascer e crescer na sua própria localidade e assim ainda contribui para o desenvolvimento regional”, completa.

De olho nas oportunidades, o microempresário Marcos Vinicius de Sena e Paiva concluiu em 2013 uma obra com a qual vinha trabalhando há cinco anos para ampliar sua loja. Ele é dono de um supermercado em Jequitinhonha (MG), um dos municípios atendidos pelo programa de Desenvolvimento Territorial do Sebrae. De 180 m², a área de vendas passou para 600 m² e a clientela subiu de 1,2 mil para 1,8 mil pessoas por mês, com faturamento 50% maior. “Pude dar mais conforto aos clientes, diversificar a oferta de produtos e até mesmo inserir itens mais sofisticados”, revela o empresário.

No sertão de Pernambuco, a Microempreendedora Individual Lyedja Santos Ferreira começou a fazer a decoração para as festas de aniversário da filha e, trabalhando em casa, teve a ideia de começar a vender para outros clientes. Para não depender apenas do mercado local, criou uma loja na Internet e fez sua primeira venda para Gravataí, no interior do Rio Grande do Sul. Com o aumento no volume de negócios, abriu também uma loja física, em Cabrobó (PE). “Sempre procuro melhorar participando de palestras do Sebrae que ajudam bastante, principalmente a organizar o faturamento, que eu tinha muita dificuldade. Hoje, com muito orgulho, faço parte de festas de Norte a Sul do Brasil e até nos Estados Unidos”, comemora.

O que consomem os moradores do interior

R$ 265 bilhões com reforma do domicílio
R$ 118,4 bilhões com alimentação no domicílio
R$ 61 bilhões com medicamentos
R$ 53 bilhões com material de construção
R$ 52,4 bilhões com alimentação em restaurantes, bares e lanchonetes
R$ 51 bilhões com veículo próprio
R$ 36 bilhões com vestuário e confecção
R$ 23 bilhões com eletrodomésticos e equipamentos eletrônicos
R$ 22 bilhões com higiene e beleza
R$ 19 bilhões com educação
R$ 19 bilhões com móveis
R$ 18,5 bilhões com viagens
R$ 17 bilhões com recreação e cultura
R$ 14 bilhões com calçados
R$ 12 bilhões com bebidas
R$ 6,6 bilhões com produtos de limpeza
R$ 5 bilhões com livros e material escolar

O que os moradores do interior pretendem comprar em 2014

Entre os 94,3 milhões de habitantes de cidades fora das capitais e regiões metropolitanas:

23,2 milhões querem comprar móveis para a casa
17,4 milhões pretendem adquirir uma TV
13,2 milhões desejam comprar geladeira
12,1 milhões planejam adquirir máquina de lavar
11,8 milhões querem fazer uma viagem nacional de avião
9,1 milhões desejam um notebook ou netbook
8,8 milhões pretendem comprar moto
6,9 milhões querem comprar um carro
5,1 planejam ter um tablet
4,8 milhões planejam adquirir casa ou apartamento
4,1 milhões desejam fazer uma viagem internacional de avião
3,2 milhões querem comprar smartphone

Fonte: Revista Pequenas Empresas Grande Negócios