07/03/12 - Bares moverão ação contra proibição de bebidas

Deputado Campos Machado quer acabar com a venda e o consumo de álcool em locais públicos com projeto

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) vai entrar com ação na Justiça caso a Assembleia Legislativa aprove, nos próximos dias, o projeto de lei do deputado Campos Machado (PTB) que proíbe o comércio e o uso de bebidas alcoólicas em locais públicos de São Paulo. A proposição acaba com o consumo de bebidas em praças, estádios, praias e em mesas de bar em calçadas.

“Somos contra essa proibição”, afirmou ontem o advogado Percival Maricato, diretor jurídico da Abrasel. “Esse projeto fere a liberdade e os direitos do cidadão”, acrescentou Maricato, para quem a proposta é inconstitucional pelos exageros repressivos e o efeito invasivo na vida das pessoas. “O que o deputado quer? Que uma praia ou um estádio de futebol seja igual a uma igreja?”, perguntou ele.

A Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de São Paulo, que reúne 31 sindicatos do setor, também está preocupada. “É importante o debate sobre o consumo responsável, mas proibir bebidas em mesas nas calçadas e nas praias vai provocar queda no faturamento e demissões”, alertou Edson Pinto, diretor da entidade. “O Brasil é a bola da vez no turismo mundial e São Paulo é uma vitrine para os outros estados brasileiros, que poderão copiar a medida. Tudo o que não queremos é causar desemprego”, disse Edson Pinto.

“O deputado não tem mais o que fazer?”, perguntou Simone Drehmer, que tomava cerveja numa mesa de calçada na frente da Mercearia São Pedro, na Vila Madalena, ontem à tarde, com Thais Bertolin. “E a pobreza, a falta de saneamento, os problemas na educação e na saúde? Por que não cuidam disso?”, indagou.

“Quem eu agrido ao tomar uma cerveja numa mesa de bar na calçada?”, questionou Thais. “Será que o consumismo e as cenas de sexo na televisão não são muito piores para as crianças?”, quis saber ela, ao ser informada que o parlamentar pretende evitar que crianças vejam bebidas nas ruas.

Para o presidente da Restaurant Week e dono do Bar Camará, Emerson Silveira, o projeto que deverá ser apreciado pelos deputados paulistas é absurdo. “Você acha que alguém vai deixar de beber por isso? E como iriam fiscalizar essa lei?”, indagou Silveira. “Fala sério comigo. Quem vai para a praia no domingo, com 40 graus de temperatura, apenas para beber água de coco?”

Já Álvaro Aoas, dono do Bar Brahma, lembrou das mesas nas calçadas em Paris. “É a mesma vocação de São Paulo. Já imaginou o Réveillon na Paulista sem cerveja?”

 

Fonte: O Diário de S. Paulo