18/03/14 - Como aproveitar a Copa do Mundo?

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

O grande evento se aproxima e o setor precisa se preparar para receber bem os clientes, aproveitar o momento e elevar a receita

Muito tem se falado sobre as oportunidades que a Copa do Mundo FIFA 2014, que acontecerá no Brasil em junho e julho, vai oferecer para empresários dos mais diversos setores. Para bares e restaurantes de todo o Brasil não será diferente. Com a possibilidade de transmitir os jogos e incrementar as vendas, muitas casas podem acabar ganhando com o evento. No entanto, vale lembrar que alguns estabelecimentos têm no horário de almoço suas vendas mais significativas e, caso seja decretado feriado nos dias de jogos, eles podem acabar perdendo o faturamento daquele dia.

O alerta vem do membro do Conselho de Administração da Salles. “Nem todo o setor é beneficiado pela Copa do Mundo. Parte dele, inclusive, perde”. Os jogos doAbrasel, Célio Brasil na primeira fase acontecerão durante a semana, sendo um às 16h e outros dois às 17h. Caso seja decretado feriado nesses dias, as pessoas dificilmente vão almoçar fora de casa, prejudicando restaurantes que tem maior movimento no horário de almoço, como aqueles que trabalham com comida a quilo.

No entanto, existe também a possibilidade de haver expediente na parte da manhã e as pessoas serem liberadas somente à tarde, o que prejudicaria um pouco menos, já que parte delas pode preferir almoçar próximo ao trabalho antes de assistir aos jogos. A partir da segunda fase, já existe a possibilidade do Brasil jogar às 13h. “Aí sim os restaurantes que servem o almoço serão prejudicados. Quanto mais cedo, mais as vendas despencam. Uma sugestão é anotar as datas dos jogos mais importantes para definir o cronograma de funcionamento do restaurante”, avalia Salles. Restaurantes situados nas praças de alimentação dos shoppings também devem perder nos dias de jogos.

Serão beneficiados, então, bares e restaurantes que conseguem fazer a transmissão das partidas. Ele lembra que é preciso ficar atento às regras impostas pela Fifa para a exibição dos jogos (ver box página 45). Além disso, é importante que o restaurante dê condições aos clientes de assistir aos jogos. “Colocar televisões ou telão é sempre interessante. Os empresários também devem criar promoções específicas, como combos que incluem bebida e comida com preço especial no horário do jogo”, ressalta.

Outra possibilidade é trabalhar com esquema de pré-reserva para dar comodidade aos clientes. Festas após as partidas, no estilo “venha comemorar conosco”, também podem ajudar a incrementar o faturamento, já que aumenta o período que o cliente permanece na casa. Também pode ser interessante criar vínculos com a torcida. “Decorar a casa com o tema da Copa do Mundo ou distribuir material para as torcidas, como bandeiras, cria uma identidade do público com aquele bar ou restaurante.”

O cardápio também pode ser adaptado para o evento esportivo, com opções de alimentos mais leves ou almoços mais rápidos para os clientes se alimentarem antes de assistir às partidas. Outra opção é montar kits que as pessoas possam comprar para levar para casa. “Muitos clientes assistem aos jogos em casas de amigos e querem levar algo, então esses kits podem ser muito interessantes”, explica Salles. Os estabelecimentos que trabalham com delivery também devem se preparar, já que a comodidade de receber o alimento em casa em dias de jogos pode ter muitos adeptos.

 

Mais atenção nas cidades-sede

Os bares e restaurantes localizados em alguma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo Fifa 2014 devem se preocupar ainda mais em atender bem os turistas nacionais e internacionais. Célio Salles destaca que, para isso, eles precisam contar com uma equipe que tenha o domínio das línguas inglesa e espanhola e conseguir fornecer aos clientes informações sobre a cidade. “O domínio das duas línguas é essencial para que os atendentes possam se comunicar com os turistas internacionais. Também é importante que eles saibam fornecer informações sobre a cidade, visto que os clientes podem pedir ajuda para se locomover ou dicas do que fazer ao longo do dia”, explica.

A rede de lanchonetes Megamatte, com unidades no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina, já está desenvolvendo uma série de ações voltadas para a Copa do Mundo. A maior delas está ligada ao layout das lojas. O diretor de desenvolvimento da empresa, Rogério Gama, explica que foi desenvolvida uma nova identidade visual para as unidades. “Contratamos um escritório para criar um layout que passasse a ideia de contemporaneidade e que fosse mais globalizado. A ideia é que as pessoas de todo o mundo possam olhar para uma loja da marca e entender que é comida rápida.”

A rede também adotou cardápios trilíngues (português, inglês e espanhol) em todas as suas unidades. Nas lojas situadas nas cidades-sede, sobretudo aquelas que ficam em área turística, os empregados serão preparados para prestar atendimento em inglês. As unidades de Ipanema, no Rio de Janeiro, e também a que fica próxima ao Maracanã, por exemplo, vão ter pessoas que falam inglês no atendimento durante o período da Copa.

A empresa também está estudando campanhas promocionais relacionadas ao esporte para a época do evento. Gama lembra, no entanto, que é importante não utilizar a marca da Copa do Mundo no material da empresa, já que somente os patrocinadores tem autorização para tal. A Megamatte vai ainda lançar novos produtos. “São itens com maior sustentação energética do que aqueles que servimos hoje. Na época do evento, as pessoas vão ficar muito tempo fora de casa e vão precisar se alimentar melhor”, avalia.

Já na rede de comida brasileira Divino Fogão, com 163 lojas espalhadas pelo país, a principal preocupação é apresentar a culinária local para os turistas estrangeiros. Por isso, nas unidades localizadas nas cidades-sede, nutricionistas da empresa ficarão na frente da loja para ajudar os atendentes na explicação do cardápio, que também será disponibilizado em inglês. O treinamento dos empregados já está acontecendo em parceria com o Sebrae.

Nas lojas que tem salão serão instaladas televisões para a transmissão dos jogos. No entanto, a empresa não pretende lançar nenhuma campanha promocional específica para o período. “Todas as empresas vão lançar promoções e vai haver uma verdadeira disputa de ações que não acredito que valha a pena participar. Como nossa culinária é típica do Brasil e em uma praça de alimentação de shopping, somos os únicos com essa característica, vamos focar nisso para atrair os clientes”, afirma o fundador e presidente da Divino Fogão, Reinaldo Varela.

A rede carioca Parmê, com unidades espalhada por todo Rio de Janeiro, quer utilizar a experiência adquirida, durante outros eventos que a cidade sediou, durante a Copa do Mundo de 2014. O gerente de operações da empresa, Luiz Antônio Jaeger, lembra que o Rio de Janeiro já foi sede do Panamericano, da Copa das Confederações e da Jornada Mundial da Juventude. “O que procuramos é oferecer aos nossos clientes o clima do evento. Tentamos, ao máximo, customizar nossas operações, com tudo que envolve atendimento e produto voltado para o evento.”

As unidades do Parmê vão transmitir os jogos e serão decoradas com o tema da Copa do Mundo. No cardápio devem entrar novas opções, como tira-gostos para comer durante as partidas. Ele aposta que a perda de movimento com a decretação de um feriado pode ser suprida com o público flutuante presente na cidade. “Percebemos isso durante a Jornada Mundial da Juventude, quando foi decretado feriado no Rio de Janeiro e o nosso movimento foi ainda maior”, avalia.

 

Fonte: Revista Bares & Restaurantes ed.95