16/12/2013 - Rede prevê R$ 6 milhões em 2013 com hot dogs gigantes

CLIPPING - NOTICIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAIS

A paulista Sherlock & Dog começou a franquear e planeja 20 novas unidades em 2014

Em 2011, Giovani Conte, 42 anos, trabalhava na fábrica da família de rótulos para laboratórios, a C3, em Santana do Parnaíba, quando pensou que ainda tinha bastante tempo depois do expediente para fazer dinheiro. Resolveu, então, dar uma nova chance ao sonho de ter sua própria lanchonete de hot dogs, projeto que tentou realizar anteriormente, quando tinha 18 anos, com o irmão. O negócio, na época, durou dois anos.

Para Conte, a primeira tentativa não dera certo pela falta de experiência. Dessa vez, ele se uniu a mulher Daniela e inaugurou o Sherlock & Dog em Alphaville, São Paulo. A lanchonete traz como mascote um cachorro investigador, paredes com papéis xadrez imitando a vestimenta de um “investigador literário” e um clima mais aconchegante do que uma unidade de fast food tradicional. Mas o diferencial mesmo está no menu, que exagera no tamanho do cachorro-quente – de 24 cm – e molhos e condimentos disponíveis à vontade. “Todas as opções que nós servimos foram preparadas por mim, eu sempre tive uma boa mão para a cozinha “, diz Conte.

Além de oferecer uma abundância de acompanhamentos, os clientes também têm a opção de montar seu próprio hot dog. Desde o começo Conte imaginou o seu negócio para que crescesse como rede de alimentação rápida. “Muitas pessoas até pensavam que éramos alguma rede internacional. Apelidaram a gente de McDonald’s do cachorro-quente”, diz. Em quatro meses, o Sherlock já ganhava sua segunda unidade, e em seis, a terceira.

Logo depois Conte contratou uma empresa para formatar o padrão da lanchonete para unidades franqueadas. Atualmente são quatro unidades prontas para inauguração e uma expectativa de outras 20 em 2014. “Nó já recebemos proposta até de abrir uma lanchonete em Miami”, diz o empresário.

Para ser franqueado do Sherlock & Dog, não é necessária experiência prévia ou ser de alguma região específica. Segundo Conte, todos passam por uma semana intensiva de treinamento em uma das unidades próprias da rede e depois mais algum tempo na própria unidade inaugurada. Atualmente com sete lanchonetes, a rede pretende fechar o ano com um faturamento de R$ 6 milhões.

Fonte: Revista PEGN