24/10/2013 - Mercado de doces requer criatividade; nove dicas para você demitir o seu patrão e empreender

Mercado de doces requer criatividade; nove dicas para você demitir o seu patrão e empreender

Tipo de Clipping: WEB
Assunto: Food Service
Data: 24/10/2013

Veículo: Estadão PME
Page Views: 0

Avaliação de consultores aponta para condições positivas no mercado de doces e sobremesas

JF Diorio/EstadãoRamo da produção de doces para festas e eventos corporativos passa por um bom momentoEmpreender no mercado de doces pode ser mais diversificado do que parece à primeira vista: de empresas de vendas no atacado para restaurantes até empreendimentos individuais que crescem gradualmente, o empreendedor tem um cardápio de opções saborosas - e lucrativas - no setor.

Entrar no mercado é um exercício de criatividade. "É interessante que o pequeno empreendedor se especialize, hoje já existe um portfólio gigantesco de oportunidades", avalia o consultor do Sebrae-SP, Aroldo Eiji Matsumoto. Conseguir repensar a apresentação e agregar diferenciais, como sabores criativos, ao doce tradicional da família pode virar um negócio lucrativo.

A classe C ativa é um atrativo para ingressar no mercado, segundo o consultor. "A classe C já adquiriu os bens de consumo básicos e conseguiu comprar viagens: o próximo passo é a alimentação fora do lar, incluídos aí os doces mais elaborados", prevê.

A avaliação do consultor Adri Vicente Júnior, da Food Service Company, destaca que há ainda um crescimento de demanda para empresas que produzem doces de festas e eventos corporativos.

O ramo da produção de doces para festas e eventos corporativos passa por um bom momento: há demanda e as tecnologias acessíveis tornam o ingresso no mercado mais facilitado.

O e-commerce movimentou R$12 bilhões apenas no primeiro semestre de 2013. Não é que seja fácil, mas por que não aproveitar esse movimento também no segmento dos doces?

Mesmo com simplicidade e com as limitações de um pequeno empreendedor, há duas orientações básicas que devem ser seguidas: qualidade e boa apresentação. "Dentro do nicho, que pode ser pequeno ou grande, o empresário tem que se destacar", ressalta Vicente Júnior.

Em qualquer negócio, o planejamento é essencial. Pensar em previsões de faturamento e calcular a possível rentabilidade é fundamental para ter consciência da real possibilidade de investimento.

Para entrar no mercado de doces, o empreendedor deve conhecer, estudar, experimentar, buscar iniciativas novas não apenas no bairro ou cidade em que quer abrir o negócio. Pela internet, é possível explorar o que os concorrentes diretos estão fazendo - e quase da mesma forma, também o que os doceiros no Canadá ou na China estão produzindo.

Ter em mente que a ampliação do negócio é sempre saudável. "Quando o empreendedor consegue ampliar produção e vendas, ele passa a comprar matéria prima em escala, o que diminui proporcionalmente os gastos fixos e aumenta a margem de lucro", avalia Matsumoto. Se o modelo de negócio depende muito da identificação pessoal do empreendedor, a dica para aumentar o faturamento é diversificar produtos e serviços.

Um erro comum, apontado pelo consultor do Sebrae, é deixar passar a análise dos concorrentes indiretos. "Se alguém quer abrir uma loja de chocolates, por exemplo, tem que analisar vendedores de outros doces que atuam na mesma região", diz. A análise da concorrência direta relacionada a dados demográficos, como densidade e renda média, também é fundamental.

Até há pouco tempo, os restaurantes consideravam a sobremesa um extra, algo supérfluo para agradar o cliente. Hoje, a sobremesa faz parte do negócio, o doce agrega valor à mercadoria, que passa a ser uma composição e não apenas o prato principal. Investir nesse mercado - empresas que vendem sobremesas a restaurantes no atacado - pode demandar um investimento inicial grande, mas a expectativa de retorno é alta.

Os doceiros dentro dos restaurantes já são peças raras. Mesmo com doces simples, como bombons, o faturamento de uma iniciativa assim pode ser significativo. "Se um restaurante vender 500 refeições por dia, e oferecer doces simples a R$1, por exemplo, o faturamento no fim do mês vai crescer com uma medida muito simples", indica Vicente Júnior.