28/05/13 - Rede de fast-food Hooters estima abrir até 40 lojas no Brasil

O cenário de restaurantes em mercados emergentes está aquecido e a Hooters, sempre em busca de oportunidades de expansão, quer pegar carona.

Com locações na África do Sul, Austrália e Hungria, uma franqueadora da rede de fast-food aposta em aumentar a presença no Brasil, animada pela expectativa de uma ampla demanda pelo bar de esportes americano.

A Chanticleer Holdings, a franqueadora internacional da Hooters, adquiriu os direitos exclusivos em conjunto com um parceiro local para abrir as lanchonetes no Brasil. O presidente-executivo da firma, Michael Pruitt, espera abrir até 40 locações, que fariam o Brasil o país com a maior presença de lanchonetes da Hooters no mundo fora dos Estados Unidos.

À espera que o formato de bar e restaurante de esportes seja bem aceito, Pruitt pretende instalar televisores de tela plana em todas as locações. “A Copa do Mundo está vindo para o Brasil, e depois disso a Olimpíada, e isso está no topo do que acreditamos ser uma economia muito vibrante”, afirmou o executivo. “O Brasil é provavelmente a maior oportunidade neste momento, tanto para a Hooters quanto para a Chanticleer.”

Por enquanto, a estratégia de expansão internacional de Pruitt tem valido a pena: no primeiro trimestre do ano, a receita da Chanticleer com restaurantes subiu 18,4%, para US$ 1,7 milhão, de US$ 1,4 milhão no primeiro trimestre de 2012.

Um desafio que a Chanticleer precisará superar para as ambições brasileiras se materializarem é garantir financiamento. Em seu mais recente relatório financeiro, divulgado nesta semana, a companhia reportou passivos mais altos que ativos, assim como um prejuízo líquido de quase US$ 740 mil nos três meses encerrados em 31 de março.

Para pagar as dívidas que vencem em 2013, a companhia pode precisar pegar dinheiro, fazer joint ventures ou adotar outros modos de financiamento. “Não há garantia que esses eventos ocorrerão ou que a companhia será capaz de levantar capital suficiente”, diz as demonstrações contábeis.

A Hooters está longe de ser o primeiro restaurante americano a buscar consumidores em mercados emergentes. As redes de fast-food mais baratas fizeram as primeiras incursões internacionais. O McDonald’s começou a operar na América Latina em 1967, com uma lanchonete na Costa Rica.

Redes ligeiramente mais refinadas, como a Hooters, mostram uma expansão mais lenta. Andres Calderon, vice-presidente de pesquisa na Hansberger Global Investors, diz que os restaurantes de preço-médio nos Estados Unidos podem preencher um vazio no cenário de restaurantes de mercados emergentes.

Para Calderon, há espaço para mais opções no Brasil entre o vendedor de rua e os restaurantes mais formais (e mais caros). “O Friday’s, por exemplo, é um restaurante bacana, limpo e muito mais barato que os outros. É o que falta.”

O Outback Steakhouse é um dos poucos restaurantes americanos a buscar os clientes brasileiros, com mais de 21 locações por todo o país. “É um enorme sucesso. Literalmente, as pessoas esperam uma hora na fila para comer no Outback”, afirma Calderon.

Com a chegada da Hooters, talvez não seja mais preciso esperar tanto.

 

Fonte: Valor Econômico