17/02/12 - Chocolate "made in Brazil" avança no exterior

Marcas nacionais devem fechar US$ 20 milhões em contratos na maior feira do mundo

Não são só de café, açúcar, suco de laranja e carne que vivem as exportações brasileiras. O Brasil quer se transformar em um grande vendedor de chocolates para o exterior, motivo que levou à reformulação da marca Sweet Brazil, de promoção de exportação da indústria de confeitaria do país.

O projeto, fruto de pesquisas e estudos de branding desenvolvidos pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab) e Apex-Brasil, acabou dando à marca a assinatura "Made from the Heart".

Grupo de 22 empresas que acaba de retornar da International Susswaren Messe (ISM), a maior feira de balas e chocolates do mundo, realizada em Colônia, na Alemanha, está otimista com a visita de 1630 clientes, compradores e importadores, durante os quatro dias de feiras.

A partir dos contatos feitos no evento, o valor dos contratos fechados chegou a US$ 6 milhões e outros US$ 20 milhões em vendas devem ser efetivados nos próximos 12 meses, aposta a Abicab.

Antonio Romualdo, gerente de exportação da fabricante de doces Riclan, acredita que foi possível resgatar compradores estrangeiros que tinham deixado de importar do país nos últimos dois anos, devido ao aumento de preços provocado pela valorização da moeda brasileira e elevação do valor das matérias-primas.

"Percebi claramente a volta de clientes, que agora estão aceitando o nosso novo patamar de preços, que também veio acompanhado de maior diversificação e melhora dos produtos", diz Romualdo, que prevê aumento de pelo menos 10% nas exportações da empresa este ano.

 

Fonte: Brasil Econômico