15/05/13 - Donos de bares e restaurantes dizem que Lei Seca afasta clientela no Recife

 

Blitz perto de estabelecimentos e falta de transporte público seriam causas. Polícia Militar afirma que estudo baseia escolha dos pontos de fiscalização

A Lei Seca está mais rígida desde janeiro, quando a tolerância no teste do bafômetro passou a ser zero. De acordo com o governo estadual, o número de acidentes de trânsito diminuiu 5% em Pernambuco comparando os três primeiros meses deste ano com o mesmo período de 2012. Donos de bares e restaurantes do Recife dizem que o movimento também caiu depois que as fiscalizações ficaram mais rigorosas.

De acordo com dados da Operação Lei Seca, nos quatro primeiros meses deste ano, foram feitos 122.210 mil testes do bafômetro e 468 motoristas foram multados por dirigir depois de beber. Neste mesmo período de 2012, os números foram menores: 32.737 testes e 65 multas. No entanto, a quantidade de condutores detidos diminuiu neste quadrimestre: foram 168 em 2012 contra 99 este ano.

Em uma boate no Recife, 50 funcionários foram demitidos em março último. O proprietário do local, Franklin Farias, calcula que o movimento caiu 30% depois das mudanças feitas na Lei Seca. "É que o transporte público não funciona às 3h, 4h. Também não é fácil pegar táxi nesse horário", disse.

Donos de bares e restaurantes dizem que são a favor das fiscalizações, mas reclamam que elas são feitas perto dos estabelecimentos. "Toda semana tem blitz aqui perto, e isso inibe a presença dos clientes", reclamou Severino Inácio, dono de um restaurante.

O diretor regional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PE), Valter Jarokci, defende uma ação menos intimidadora. "É preciso fazer uma reflexão, pois este é um segmento importante. É preciso pensar onde as blitzes são colocadas, porque, às vezes, acaba prejudicando determinados estabelecimentos", disse Jarokci.

O tenente-coronel André Cavalcanti, coordenador executivo da Operação Lei Seca em Pernambuco, explicou que existem estudos da Secretaria de Saúde que indicam as ruas onde há mais acidentes, e as blitzes são montadas justamente nesses locais.

"O Código Brasileiro de Trânsito é bem claro: a blitz pode ser feita em qualquer via pública, seja perto de um hospital ou de um bar, podemos atuar sem problema algum", apontou. Cavalcanti também lembrou que a lei não proíbe os motoristas de beberem. "O que não pode é berber e dirigir."

Quem dirige depois de beber comete infração gravíssima, recebe setepontos na carteira, tem a habilitação recolhida e paga multa de R$1.915.

Sobre a reclamação de falta de táxi na madrugada, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) informou que o serviço deve funcionar 24 horas, mas não há nenhum telefone para reclamação, caso o passageiro não encontre táxi nas ruas.

Fonte: G1