22/05/2017 - Dia do Vinho é Oportunidade para desafiar os sentidos

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

O Dia do Vinho é realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho, pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado e pelo Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho

 

 

O vinho é o personagem principal. Mas o filme é uma intensa viagem de sentidos, no qual a diversidade de paladares, odores, visões e sensações promete uma experiência única. Esse é o enredo que envolve as comemorações do Dia do Vinho deste ano. Serão duas semanas de intensos roteiros enogastronômicos. A extensa programação - são mais de 200 atrações - foi pensada para agradar amantes antigos e novos apaixonados pela bebida-símbolo da Serra Gaúcha. São 54 vinícolas envolvidas em 76 atividades (o mesmo estabelecimento oferece, por vezes, mais de uma atração).

As comemorações, neste ano, reúnem atividades em 18 municípios do Sul, e duas regiões de produção vitivinícola do Sudeste e Nordeste do Brasil, mostrando que a produção da bebida extrapolou fronteiras e consolidou-se em importantes polos, para além das já tradicionais cidades da Serra participantes nas edições anteriores.

Entre as atividades confirmadas estão 29 degustações de vinhos e sucos, incluindo cursos. São mais de 60 restaurantes participantes e 30 meios de hospedagem, para todos os gostos e bolsos.

De maneira inédita, o lançamento oficial da programação do Dia do Vinho 2017 ocorreu na Campanha Gaúcha. Santana do Livramento, na fronteira com o Uruguai, foi a anfitriã das comitivas que apresentaram ao mercado, à imprensa e ao público os pontos altos da festa.

As três cadeias econômicas envolvidas - vitivinícola, gastronômica e hoteleira - oferecerão, de forma simultânea, atrações e produtos com preços diferenciados e pelo menos 30 vinícolas trabalharão com descontos de 10% a 30%. "A programação apresenta ao público, nestas duas semanas, as melhores atrações enoturísticas de empreendimentos de gastronomia, hospedagem, turismo e vinícolas", lembra o presidente do Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH), João Leidens. Segundo ele, o Dia do Vinho é um dos mais importantes eventos da região, que ajuda na divulgação de um produto único - o vinho - e movimenta toda uma categoria. "É um momento especial para os amantes de vinhos e para aqueles que querem iniciar a formar a sua adega, já que cantinas, vinícolas, lojas e restaurantes oferecem descontos atrativos", comemora.

O vinho, claro, estará em todos os lugares dos roteiros: praças, shoppings, vinícolas, adegas museus e restaurantes. Além dos preços convidativos, alguns dos restaurantes e hotéis parceiros prepararam brindes como taças de vinhos e sucos. "Se olharmos a distância entre o ponto onde foi lançado, em Santana do Livramento, na fronteira com o Uruguai, e o mais novo território participante da programação, o Vale do São Francisco, na fronteira entre Bahia e Pernambuco, o Dia do Vinho tem agora, além de duas semanas, mais de 3,8 mil quilômetros para ser aproveitado", lembra Leidens. O Dia do Vinho se estende de 19 de maio a 4 de junho, com o mote Duas Semanas Para Celebrar Grandes Momentos. A programação completa pode ser acessada no site diadovinho.com.br e nas redes sociais.

 

Mercado aquecido

O Dia do Vinho é realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado e pelo Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH). A ambição do setor de vitivinicultura, gastronomia e turismo é transformar a data, criada por lei estadual em 2003 e comemorada no primeiro domingo de junho, em festividade nacional.

Nesse sentido, três iniciativas tramitam no Congresso Nacional para instituir o primeiro domingo de junho como Dia do Vinho. As vendas de produtos vitivinícolas, em 2016, tiveram uma retração, em função, principalmente, da redução da oferta de produtos, que acabaram tendo seus custos aumentados em função da baixa produtividade e do aumento de impostos. O início de 2017 também apresentou queda nas vendas, de 20%, em média. Esse recuo pode ser explicado, em parte, ainda pela falta de oferta de produtos, pois os sucos e vinhos elaborados neste ano começam a chegar agora ao mercado.

"Também não podemos deixar de considerar as condições de mercado, impactado pela alta taxa de desemprego e dois anos de recessão econômica, que provocam, no consumo, dois movimentos: a substituição de produtos pelos de menor preço ou a eliminação destes produtos que, diferente de outros países, não são considerados de primeira necessidade", pondera o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá.

Mas, mesmo com números finais ainda não concluídos, a colheita de uvas para produção de sucos, vinhos e espumantes voltou ao padrão normal, devendo chegar próximo das 700 mil toneladas. No ano passado, houve quebra de 57%, quando foram colhidas 300 mil toneladas de uvas. "Esta safra, além alcançar uma boa quantidade, também caracterizou-se, com pequenas exceções, por uvas de qualidade. Consequentemente, vamos ter a elaboração de bons sucos e vinhos", explica Scottá.

O principal entrave à comercialização, segundo o dirigente, é a tributação sobre o setor, pela qual as vinícolas têm de recolher antecipadamente o ICMS de toda a cadeia, estabelecendo um sobrepreço aos produtos antes mesmo de chegarem ao consumidor final. Além do impacto nos custos, há burocracia, já que cada estado trabalha com diferentes alíquotas. E é exatamente nesse cenário complexo que se inserem as comemorações do Dia do Vinho. "A promoção tem por objetivo ativar, em conjunto, a cadeia vitivinícola, os setores de gastronomia e hotelaria. No anos anteriores, já provou-se que esta atividade proporciona aumento das taxas de ocupação hoteleira. Busca-se também ampliar a cultura do vinho, através de degustações, eventos de harmonização entre vinhos e comidas, enfim, atividades que buscam aproximar consumidores com produtores", diz Scottá.

 

Fonte: Diário do Comércio. Para ler a notícia na íntegra, acesse o site.